O morro dos ventos uivantes

Autor (a): Emily Bronte
Editora: Bestbolso
Páginas: 420
Classificação: 5

Anúncios


download-o-morro-dos-ventos-uivantesÚnico romance escrito por Emily Brontë, ‘O MORRO DOS VENTOS UIVANTES’, foi publicado em 1847 e atribuído a um certo “Ellis Bell”. Hoje considerado um clássico da literatura inglesa, caracterizado como uma história de amor amaldiçoado e de vingança, e visto como a mais intensa história de amor já escrita na língua inglesa, recebeu fortes críticas no século XIX, época em que foi lançado. Um ano antes, as três irmãs Brontë Charlotte, Emily e Anne haviam publicado uma coletânea de poemas em nome de “Currer, Ellis e Acton Bell”. Nos círculos literários ingleses era crença generalizada que as “Irmãs Brontë” e os “Irmãos Bell” fossem as mesmas pessoas. No entanto, o simples crédito deu margem a controvérsias: que “Bell” seria, realmente, qual das irmãs Brontë? Correntes de críticos afirmavam que os três pseudônimos pertenciam na realidade à Charlotte; outros sugeriam que os demais pseudônimos “Bell” não se relacionavam com nenhuma das irmãs, e se referiam a seu Irmão Branwell. Críticos da época reagiram com indiferença à obra, comparando-a desfavoravelmente com “Jane Eyre”, de Charlotte Brontë, enquanto outros achavam o livro excessivamente mórbido e violento. Finalmente, a reavaliação crítica gradual encabeçada pela própria Charlotte resultou no reconhecimento do gênio de Emily e na aceitação d’ O MORRO DOS VENTOS UIVANTES como uma obra-prima singular, representando um distanciamento radical da tradição vitoriana de romance, fortemente influenciado pelo estilo de Percy Shelley em sua poesia, pelo ar gótico e rebuscado de Isaac Watts, autor do primeiro romance gótico “O Castelo de Otranto” e por Mary Shelley, autora de “Frankstein” e “O Último Homem”. O MORRO DOS VENTOS UIVANTES possui características ímpares diante de seus contemporâneos: enquanto outros se baseavam em ações complexas, geralmente tortuosas, sua estrutura dramática era resultado do choque de vontades, através de uma rica mistura de romantismo e realismo, transbordando de paixão, turbulência e misticismo. O MORRO DOS VENTOS UIVANTES já foi adaptado mais de vinte vezes para o cinema, rádio e TV. A versão de William Wyler de 1939, estrelada por Merle Oberon como Cathy e Laurence Olivier como Heathcliff, é considerado um dos grandes clássicos do cinema até os dias de hoje, indicado para sete categorias da mais importante premiação do cinema e vencedora do prêmio por sua fotografia; as versões mais recentes são as de 1992, estrelada por Juliette Binoche e Ralph Fiennes, e uma modernização para os dias de hoje, produzida pela MTV em 2003.

 

Hoje vou falar desse livro que eu tinha muita curiosidade de ler, desde a adolescência, e tinha muita expectativa sobre ele.

Ele conta a história do Sr Heathcliff, que foi adotado pelo Sr Earnshaw quando pequeno e foi levado para a fazenda, que passou a conviver com a família adotiva, o que causou ciúme na esposa do Sr Earnshow e no filho dele, mas a sua filha Catherine, a Cathy, que o aceita muito bem, e que passa a criar um carinho especial por ele, e eles se apaixonam.

Quando eles crescem, e ficam só os filhos, o irmão da Cathy passa a tomar conta da fazenda, e com isso vê uma forma de humilhar e maltratar Heathcliff, que ele sempre teve ciúme. A Cathy vendo tudo isso, não gosta, mas sabe que não pode fazer muita coisa, já que a intenção dela, é casar com um homem bonito e rico, e sabe que ela não pode ter a vida que ela está acostumada se casando com Heathcliff, que não tem dinheiro.

Cathy se casa com o seu vizinho, o Edgar, que tem todas as características que ela acha importante, como o fato de ser rico, e ele a ama, sempre quis ficar com ela.

Cathy é muito egoísta, só pensa nela, no que é bom pra ela, e por mais que ela ame de verdade Heathcliff, e ele também a ama de verdade, ele a ama muito, mas o egoísmo dela, é mais forte, e ela prefere se casar com alguém que dê a vida que ela quer.

Heatchcliff vai embora da região, e passa anos fora, quando ele volta, sua vida gera curiosidade a pessoas mais novas na região, como o Sr Lockwood, que fica curioso sobre seu vizinho, aquele homem de uma certa forma assustador, e ele começa a conversar com a governanta, que sabe toda a história da família, e começa a conta-la para o Sr Lockwood.

Meu maior cuidado na vida é ele ( Heathcliff). Se tudo desaparecesse e ele ficasse, eu continuaria a existir. E se tudo o mais ficasse, e ele fosse aniquilado, eu ficaria só, em mundo estranho, incapaz de ter parte dele.

                                                                                    Página 105

Essa é uma história de um romance diferente, não é aquele romance que estamos acostumados a ler e assistir, onde tem a mocinha e o mocinho, que vivem uma história bonita. Aqui a história é cheia de conflitos, egoísmo, vingança, mágoa, muita mágoa, mas também de amor, um amor que não foi suficiente para fazer esses dois se amarem só pensando um no outro, e que as outras coisas, como nome e dinheiro não fossem tão importantes, porque aqui, esses interesses falaram mais alto.

Fica comigo para sempre… toma qualquer… enlouquece-me! Mas não me deixes neste abismo onde não possa te encontrar! Oh Senhor! É inexprimível! Não posso viver sem a minha vida! Não posso viver sem a minha alma!

                                                                                                Página 211

Essa história é muito emocionante, na sua forma, é uma história linda, mostra um romance diferente, e acho que isso que a torna tão linda, tão emocionante, isso que faz a gente ficar torcendo por esses dois que são egoístas e vingativos, mas que se amam, e que não conseguiram encontrar uma forma de deixar certas coisas de lado para viverem esse amor tão forte.

Conclusão – É uma história repleta de conflitos, vingança, egoísmo, mas que tem muito amor, que tem muita emoção. Quando eu li não sabia que ia gostar tanto da história, que os conflitos fosse deixar a história mais bonita, porque em muitos momentos que os dois estão discutindo, é o momento que eles se declaram da forma mais bonita e mais verdadeira, é quando eles decidem falar tudo o que sentem, e quando nos sentimos emocionados por eles.

Esse livro é um clássico maravilhoso, e que vale muito a pena a leitura.

Obs: O número das páginas desses trechos, foi uma versão da Coleção Abril, pode ser que a numeração mude uma edição para outra.

Beijos e ótima leitura.

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s